• Minhas compras
  • Entrar
  • John Reed
    John Reed autor

    John Reed nasceu em Portland, Oregon, no dia 22 de outubro de 1887. Jornalista formado na Universidade de Harvard e já naquela época fascinado pelos ideais socialistas, começou a escrever para publicações de esquerda, sendo enviado em seguida como correspondente para o México e depois para a Europa e a Rússia. Além de muitos artigos e de México insurgente (1914), escreveu The War in Eastern Europe [A guerra na Europa ocidental] (1916) e o clássico Dez dias que abalaram o mundo (1919), que se tornou filme em 1981 – Reds – pelas mãos de Warren Beaty. Os livros de Reed inspiraram ainda mais dois filmes importantes: Outubro (1928) (baseado também em Dez dias que abalaram o mundo) e ¡Que viva México! (1931) (baseado em México insurgente), ambos de Sergei Eisenstein. Reed morreu no dia 19 de outubro de 1920, em Moscou, e foi sepultado no Kremlin, ao lado das grandes personalidades da revolução.  

triangulo
  • R$ 52,00

    No ano do centenário da Revolução Mexicana de 1910, a Boitempo Editorial reedita, com nova tradução, o depoimento mais importante sobre este momento decisivo da história latino-americana. Publicado em 1914, México insurgente foi o primeiro livro do jornalista estadunidense John Reed que, a partir daí, ganharia notoriedade como o mais importante correspondente de guerra daquele país.Então com 26 anos, Reed passou quatro meses no México a serviço de um jornal nova-iorquino, acompanhando de perto a derrubada do ditador Porfirio Días e as rebeliões camponesas que irromperam depois do assassinato do presidente Madero, que tomariam proporções de uma guerra civil. Como aponta na apresentação o historiador Luiz Bernardo Pericás, 'camponeses indígenas, pequenos empres ...

    Ano de publicação 2010.

  • R$ 38,00

    Seleção de textos - todos inéditos em português - do jornalista e escritor americano, autor de Dez dias que abalaram o mundo. Edição comemorativa dos oitenta anos de morte do escritor. Eu vi um novo mundo nascer é uma antologia de textos que falam da juventude do autor, da guerra, das greves operárias e da situação política nos Estados Unidos, do México de Pancho Villa, da Rússia revolucionária. Exemplos de alguns de seus melhores artigos foram redigidos para as revistas The Masses, Metropolitan, Seven arts e Liberator.Belíssimamente escrito, carregado de emoção e de fina ironia - mas com o olho crítico do autor fixo na dura realidade vivida no início do século passado - este livro se revela assustadoramente atual. Uma lição de ética e jornalismo. ...

    Ano de publicação 2001.