• Minhas compras
  • Entrar

Riqueza e miséria do trabalho no Brasil IV

Ricardo Antunes

R$ 73,00 Comprar

Riqueza e miséria do trabalho no Brasil IV
  • autores: Bárbara Castro
    Bruna Martinelli
    Cílson César Fagini
    Claudete Pagotto
    Claudia Mazzei Nogueira
    Fabiane Santana Previtali
    Fabio Perocco
    Fagner Firmo de Souza Santos
    Filipe Oliveira Raslan
    Hermes Augusto Costa
    Hugo Dias
    Jenny Chan
    José de Lima Soares
    Juliana Biondi Guanais
    Lívia de Cássia Godoi Moraes
    Luci Praun
    Luísa Barbosa Pereira
    Luciano Ferreira Rodrigues Filho
    Mariana Shinohara Roncato
    Marina C. de Carvalho Pereira
    Mark Selden
    Mauri Antônio da Silva
    Michelangelo Torres
    Ngai Pun
    Patrícia Maeda
    Patrícia Rocha Lemos
    Pedro H. Queiroz
    Raquel Varela
    Renan Vega Cantor
    Ricardo C. Festi
    Ricardo Lara
    Rodrigo Meira Martoni
    Rossana Cillo
  • organizador: Ricardo Antunes
  • orelha: Maria da Graca Druck
  • quarta capa: Edith Seligmann Silva
    Jorge Souto Maior
coleção:
Mundo do Trabalho
volume:
4
selo:
Boitempo
páginas:
548
formato:
23cm x 16cm x 0cm
peso:
750 gr
encadernação:
Brochura
ISBN:
9788575597194

Riqueza e miséria do trabalho no Brasil v. IV, coletânea organizada pelo sociólogo e professor da Unicamp Ricardo Antunes, explora os novos desenhos das relações de trabalho. Os artigos aqui reunidos, escritos por intelectuais como Ricardo Festi e Luci Praun, indagam-se sobre os rumos da nova morfologia do trabalho com as significativas transformações laborativas que caracterizam o capitalismo na era informacional-digital.

Na primeira parte, o principal elemento tematizado é o trabalhador digital (infoproletariado ou ciberproletariado), levando em conta a expropriação do tempo de trabalho e de vida por empresas globais e a explosão do trabalho intermitente (zero-hour contract). Já na segunda parte, os artigos direcionam-se para a particularidade brasileira: as relações de gênero e classe, os adoecimentos, os desafios para a juventude que trabalha e o mito do “empreendedorismo”.

Por fim, na terceira e última parte, as lutas de resistência são evidenciadas. As greves no contexto global e suas inter-relações com as distintas regiões e a experiência emblemática das fábricas ocupadas finalizam esta coletânea.